Thumbnail

E quando o vômito joga tudo para fora?

 

Quem não passou em algum momento na vida por uma situação indigesta, gerando o vômito? Esta é uma reação automática do corpo, com intuito de eliminar algo que se encontra no aparelho digestivo, que não apresenta fácil absorção, que possa provocar algum mal ao corpo ou que não é de boa qualidade, podendo ser algo como um conteúdo alimentar ou como algo sentido de forma emocional, como por exemplo, palavras que não foram bem digeridas.
Quando falamos de crianças que apresentam estes incômodos digestivos, com vômitos recorrentes ( não confundam vômitos com o refluxo, sobre o refluxo falei no artigo anterior, se você ainda não o viu, Clique Aqui  apresentam, como falei anteriormente, uma dificuldade em digerir certos alimentos, como no caso de um bebê, quando ele tem que se alimentar de algum leite industrializado ou mesmo o leite de vaca e seu estômago ainda não está preparado para isto, ou mesmo quando uma criança come algum alimento que para ela apresenta textura ou sabor desagradável, ou se aquela criança vivencia situações enquanto se alimenta, de conflitos indigestos, onde não se agrada de estar passando por algo, mas ao mesmo tempo tem que aceitar aquela situação.
Muitos recém-nascidos apresentam momentos de vômitos durante as mamadas, e isto pode ser explicado também de forma emocional. Eu já devo ter falado isto inúmeras vezes, mas acho importante sempre salientar, que quando vivemos uma situação emocional, tendemos a gravar os 5 sentidos, neste caso, quando a criança está sendo amamentada, se o ambiente ao redor está num âmbito de contrariedade, pois a mãe está tendo que suportar a sogra na casa tentando lhe ajudar, mas dando palpites quanto a coisas que a mãe não quer fazer perante ao bebê, ou que não acha correto, a criança pode sentir este ambiente num tom de contrariedade indigesta, principalmente, se acontecem situações enquanto está mamando, e isto pode gerar influencias diretas ao estômago, que neste momento estará com leite, desta forma, este leite será considerado como representante do conflito, assim, sempre que a criança mamar novamente, o cérebro entenderá que o conflito está sendo revivido, por mais que o clima não esteja mais pesado. Ou quando uma criança percebe no almoço um ambiente tenso entre o pai e a mãe enquanto se alimenta, isto pode dar uma noção de contrariado, não sabendo do lado de quem ficar, ou ainda quando a mãe está chorando enquanto amamenta, ou durante a refeição, ou ainda está aparentando muito irritada, isto pode refletir naquela criança como uma contrariedade territorial indigesta.
Claro que como qualquer outro padrão de sintoma, os adultos também podem apresentar os mesmos sintomas, quando vivenciam estes tipos de situações, sejam com alimentos desagradáveis, que provocam náuseas, para que o corpo os elimine, ou com situações emocionais indigestas.
Lembrando ainda dos 5 sentidos, algumas pessoas ainda podem apresentar as náuseas, ao sentirem o cheiro de determinados alimentos, por exemplo, tive certa vez um paciente, já com seus 75 anos de idade, que ao chegar em casa e sentir o cheiro de feijão, não conseguia ficar dentro de casa, tinha que sair, pois ficava nauseado. Isto se devia ao fato de na infância, enquanto a mãe fazia a feijoada no fogão a lenha, ele viveu uma situação intensa de contrariedade, onde apanhou de seu pai na cozinha de forma injusta para ele. E esta situação, provocou a ele um contexto muito forte de justiça, e de preocupação em não errar, mas principalmente uma contrariedade com o pai dele a partir de então. Como o cheiro no ar era o do feijão sendo cozido, cada vez que ele sentia a mesmo cheiro, é como se o cérebro dele ligasse o alerta onde o perigo poderia ocorrer novamente, e desta forma, desencadeava o sintoma de náusea a ele. Por isto, que muitas pessoas às vezes não precisam nem colocar o alimento na boca para ficarem nauseados, podem apenas sentir o cheiro, ou apenas olhar para o alimento e já ficarem contrariados em ter que ingerir aquilo.
São diferente tipos de sintomas que o corpo pode reagir perante a alimentação ou as situações emocionais que podem interferir a alimentação. No artigo de hoje falei das alterações vinculadas a náuseas e vômitos, que estão relacionadas à pequena curvatura do estomago, no próximo artigo tem mais.

Dr. Ivan Bonaldo
Crefito 8/99696-F
Idealizador do Congresso Internacional das Leis Biológicas
htttp://www.leisbiologicas.com