Thumbnail

Anorexia: proteção inconscientemente gerada por conflitos emocionais



A anorexia, inicialmente chamada de anorexia nervosa, é caracterizada por um distúrbio alimentar, onde há peso abaixo do normal, por uma restrição alimentar intensa, vontade intensa de ser magra. Muitas das pessoas que apresentam este distúrbio acabam por se visualizar com peso maior do que realmente tem. Ingerem pouca quantidade de alimento, alguns realizam exercícios em excesso ou até ingerem laxante para perder peso. Em muitos casos as mulheres deixam de ter períodos menstruais, havendo uma interrupção no ciclo menstrual, além de baixa da libido. Geralmente a pessoa recebe o diagnóstico de anorexia.


Nos estudos da Nova Medicina Germânica, a causa do distúrbio da anorexia é desenvolvida devido a múltiplos conflitos emocionais relacionado ao território, ou seja, quando uma pessoa se encontra em um contexto de ameaça, não podendo impor limites aos outros, ou não estão me dando meu espaço, as pessoas invadem meu espaço, uma agressão de proximidade, associada a uma vivência em contrariedade indigesta, com teor de raiva ou injustiça. Alguns autores ainda dizem que ao mesmo tempo deve haver um conflito ativo que afete o centro de controle da insulina, o que promove a sensação de saciedade, falta de apetite, e ainda uma alteração no centro de controle do glucagon, entretanto, este já estaria na fase de resolução do conflito, ou seja, já não estaria mais em fase de estresse.


Mas o que tudo isto significa Ivan? Não entendi nada. Vamos lá então, creio que com exemplos tudo fique mais fácil:


Devemos apenas saber inicialmente que a anorexia e um processo de proteção para pessoa, mas uma proteção inconsciente. Isto ocorre de modo que a pessoa, para evitar sofrer novamente uma situação, acaba por desenvolver os sintomas. Se você conhece alguém anoréxico, você pode perceber muito bem que ela ou ele é extremamente magra(o), sem curvas no corpo, geralmente sem muito apetite, parecendo que cada vez emagrece mais, além de ser muitas vezes resistente ou opositor(a) a imposições dos outros. Isto se deve ao fato de a frustração maior desta pessoa, é ter vivido uma situação onde se sentiu ameaçada, ou em uma agressão, geralmente por uma pessoa próxima, onde não pode confrontar ou resistir a uma situação, vivida em uma contrariedade, ou seja, ela não pode fazer nada perante a situação.


Desta forma, para que uma pessoa entre em um estado anoréxico, precisa ter vivido ou estar vivendo alguns traumas emocionais específicos, pois alguns órgãos específicos em funcionamento em conjunto é que geram estes sintomas. Atendi uma mulher que apresentava os sintomas de anorexia, que passou por uma situação muito impactante em sua infância, onde um parente próximo a tocou sexualmente aos 6 anos de idade, e esta mesma situação voltou a ocorrer aos 12 anos de idade. Para o cérebro dela, o entendimento de que os olhares daquela pessoa perante a ela, olhares de desejo, gerou uma frustração perante sua silhueta, ou seja, suas curvas representavam uma ameaça, pois quanto mais curvas ela tivesse, mas os homens a observariam. Para aquela criança, estes olhares levariam a algo pior que seria a procura pelo toque, e isto representaria a ameaça proximal que falei anteriormente. Desta forma, o cérebro entende que passar despercebida perante ao olhar dos homens é uma vantagem para a sobrevivência, ou para evitar o assédio, sendo assim, ser magra, deixaria de chamar a atenção, claro que tudo isto vivido de forma inconsciente, pois aquela menina não tinha este desejo consciente. Este processo gerou uma fragilidade na região do controle da insulina no cérebro, gerando a falta de apetite e uma hiperglicemia, e uma alteração no centro de controle da bexiga no córtex esquerdo do cérebro, que gerava algumas ardências para urinar.


Perante a situação do abuso, aquela menina vivia uma contrariedade também, já que não poderia contar para os pais, pois foi ameaçada caso isto ocorresse. Por não saber qual seria a reação do pai dela, se iria brigar com ela ou com aquele homem, além de que achava que a mãe deveria saber o que estava acontecendo, deveria imaginar e protege-la da situação, mesmo a mãe não sabendo, isto fez com que ela passasse pela sensação de contrariedade indigesta, que acaba por afetar a região da pequena curvatura do estômago, que acabava interferindo na alimentação.


Este conjunto de fatores possibilitou como uma camuflagem, onde ela poderia passar pelos homens sem se sentir ameaçada por um outro homem, que pudesse vir a poder fazer mal a ela.
É claro que este é um caso específico, podendo haver vários outros tipos de padrões que possam levar a anorexia, como conflitos familiares, onde a criança vê frequentemente briga entre os pais, ficando contrariada sem poder fazer nada para impedir e manter a harmonia de casa, sempre com medo de perder algum dos pais, por ameaças constantes de um dizendo que vai embora de casa. Isto é um bom exemplo de ameaças próximas a si, com contrariedade, pois a criança se sente impotente de fazer algo para melhorar o relacionamento dos pais.


Sendo assim, os órgãos afetados neste processo em geral são a pequena curvatura do estômago e alguma ou alguns dos centros de controle dos órgãos da região periférica do córtex esquerdo do cérebro, que estão relacionados a uma área de conflito territorial, ou seja, podendo afetar a laringe ou musculatura laríngea, ou as veias coronárias, colo do útero, vesícula seminal, centro do ritmo cardíaco, ou o reto do intestino, ou ainda a região da bexiga ectodérmica. E alguns autores citam ainda a região do controle da insulina do cérebro, que afetam as células beta de Langerhans do pâncreas. Este conjunto de órgãos afetados ao mesmo tempo geram a sintomatologia da anorexia.

 

Dr. Ivan Bonaldo
Crefito 8/99696-F
Idealizador do Congresso Internacional das Leis Biológicas
htttp://www.leisbiologicas.com