Thumbnail

Por que algumas situações de estresse afetam mais de um órgão ou tecido?

 

Você já se perguntou o motivo de várias regiões de seu corpo entrarem em disfunção ao mesmo tempo? Por exemplo, quando se tem uma gripe, por que algumas pessoas apresentam coriza, dor na garganta, dor de cabeça frontal, corpo dolorido, e não apenas um só órgão afetado? Ou mesmo quando alguém é diagnosticado com uma doença mais intensa e duradoura como a fibromialgia, qual é o motivo desta pessoa ter dor em mais de um lugar ao mesmo tempo? 

Pois então, nada é por acaso, todos temos sintomas específicos baseados no tipo de situação emocional que vivemos e que antecederam o surgimento destes sintomas, nestes exemplos, mais especificamente, os sintomas vêm após a resolução da situação de estresse, ou seja, quando a pessoa sai totalmente ou parcialmente do período do estresse, é que o sintoma se torna aparente. 

Cada sintoma vem devido à percepção da situação emocional vivida. O choque conflitual pode ser percebido pela pessoa de diferentes maneiras (você pode saber mais sobre isto no meu vídeo Leis Biológicas Ep. 3 – Percepção sobre o trauma, que está neste link http://bit.ly/IvanBonaldoVTTrauma

No caso da gripe, colocando os sintomas que demonstrei acima, o nariz está relacionado a pressentir um perigo, algo que não cheira bem, que possa a vir a ocorrer. A região da garganta, está relacionada a uma dificuldade em engolir um pedaço ou situação, ou pode estar relacionada a uma dificuldade de pegar algo ou uma informação. A dor de cabeça frontal geralmente está relacionada a uma impotência ou desvalorização intelectual, muitas vezes relacionada a achar uma solução intelectual a algo. E a dor no corpo muitas vezes está inserida no contexto de impotência em se defender, em evitar, em se proteger, em tomar uma direção, entre outros, conforme a função do músculo em específico relatado. 

E ainda se a pessoa apresentasse uma dor no ouvido durante a gripe, teria um adicional de uma informação auditiva, ou pelo fato de não ter conseguido ouvir algo ou algo que ouviu que foi insuportável. Se houvesse tosse, poderia ter uma situação de ameaça ocorrida, muitas vezes com sensação de perigo frontal, onde observo muitas vezes alteração de voz. No caso de vômito, ainda poderia o estômago estar influenciado por uma contrariedade indigesta vivida. 

No caso da pessoa com fibromialgia, o sintoma irá se dar em cada região especifica do corpo baseada na vivência do momento do estresse também, mas como os sintomas são principalmente relacionados à região muscular, a conotação do estresse vem relacionado a uma impotência, seja ela de evitar uma situação de frustração, como uma impotência em fugir de casa, por um pai recriminador, que repreende e bate, ou por um marido alcoólatra que ataca a qualquer momento. Aplicável à pessoa sentindo-se impotente em se defender, defender aos filhos e fugir, ou seja, por uma situação de ser forçado(a) a aceitar uma situação em sua vida, como por exemplo, a um casamento forçado, ou ser forçado a sair de casa e deixar seus filhos para trás. Ou ainda há aquelas situações onde a pessoa possa ter sido forçada a aceitar um toque ou abuso sexual, se sentindo impotente em afastar a outra pessoa, ou forçada a fazer um aborto em um determinado momento, onde a posição em que a pessoa estava no momento do estresse, está diretamente relacionada a região na qual sente as dores. 

Como você pôde notar, cada região de nosso corpo é influenciada, baseado nos detalhes da situação que a pessoa viveu, pois quando vivemos o estresse gravamos os cinco sentidos, e com eles os sintomas relacionados, assim como a posição na qual a pessoa se encontrava, e o horário em que ocorreu a situação. Mas quando entendemos que a situação que ocorreu já passou, nosso organismo pode se reprogramar da situação e voltar ao estado de normalidade. Há também aquelas pessoas que permanecem na situação de estresse, então surge a necessidade de mudar a percepção sobre a situação, para que aquela circunstância não continue mais influenciando o funcionamento do corpo. 

Existem vários outros exemplos de ocorrências destes mesmos sintomas, mas cada pessoa vive as situações de sua vida de maneira diferente, embora a relação do vivido de cada órgão ou tecido seja imutável. Sendo assim, se a pessoa vive a situação daquela forma que relatei anteriormente, é aquele órgão específico que será alterado e não outro. 

 

Dr. Ivan Bonaldo

Crefito 8/99696-F

Fisioterapeuta Especialista em Microfisioterapia, Nova Medicina Germânica e Leitura Biológica 

www.ativaterapias.com.br