Thumbnail

O que te impede de fazer suas escolhas?

Quantos de nós seguimos uma vida que não queríamos, tomamos escolhas que levam a arrependimentos, ou simplesmente não podemos tomar nossas escolhas, permanecendo em uma história ou situação de vida que não nos agrada. E isto acontece por qual motivo? Por que há tantas pessoas que permanecem numa vida que não as agrada?

Talvez o que eu vá escrever aqui não seja uma verdade absoluta para todas as pessoas, mas na minha prática clínica, muitas pessoas carregam estas sabotagens e bloqueios que as impedem de criar sua própria identidade.  

Um dos primeiros obstáculos muitas vezes que impedem a pessoa a tomar suas direções e escolhas é não ser capaz de dizer os seus “nãos”, seja por medo de ser rejeitada ou não ser amada pelos outros, ou por medo de fazer os outros sofrerem ou ainda por não se sentir atuante na vida do outro, mais precisamente, não poder estar controlando a vida do outro. 

Muitos pacientes que já atendi trazem histórias de não aceitações, desde momentos na gestação, quando ela veio fora do programado, ou quando a criança ao nascer sente-se de certa forma rejeitada ou não amada, pela dificuldade de a mãe amamentar, ou por dores da mãe no pós-parto, que acabam por afastar a criança, pelas depressões pós-parto, ou pela rejeição ao sexo ou por certa deficiência ou por qualquer outro motivo que seja, transmitem a criança ou ao feto o contexto de não ser amado, desta forma a pessoa pode carregar pela vida toda o desejo da busca por ser perfeito ao olhos dos outros, e neste momento que tem que ser perfeito, não pode desagradar aos outros e por consequência, tem que aceitar as imposições.

Outras pessoas acabam por assumir a responsabilidade pelos familiares e desta forma ficam sempre no alerta para proteger todos a sua volta, dispendendo 24 horas do seu tempo para ouvir, atender e proteger aos outros, chegando até a evitar sair de casa, para que se os outros precisarem dele(a), ele(a) estará em casa à disposição e ainda se possível com um bolo, ou um agrado pronto pra quem precisar. Estas pessoas abdicam de suas vidas para viver exclusivamente para proteger aos outros, seja de uma forma acolhedora, dando afeto, carinho e ouvindo o problema dos outros ou impositora, querendo ordenar, querendo que os outros sejam de seu jeito, pois entendem que seu jeito é a melhor maneira de a outra pessoa estar bem. Estas pessoas entendem que os outros merecem mais do que elas, então é correto deixar sua vida de lado, seus projetos e planos, para que possa sempre cuidar e estar de olho na vida dos outros em primeiro plano. 

Outro padrão geralmente encontrado nas pessoas que deixam suas escolhas de lado, são as pessoas submissas, são simplesmente aquelas que por medo acabam aceitando tudo o que as outras pessoas ao seu redor ordenam, acabam não tendo voz e acatando todas as demandas, ou por medo de que vá ser deixada, que vai ficar sozinha, ou que não vai ter mais aquela pessoa para lhe sustentar, ou que possa vir a apanhar da outra pessoa. As agressões na infância, quando uma criança comete um erro pode ser para alguns uma forma de dizer que suas escolhas não prestam, que é melhor ficar quieto do que tomar uma decisão errada. E isto acaba por limitar as futuras decisões e escolhas. 

Você tem dificuldade em tomar decisões? Em qual exemplo destes você se encaixa? Tudo é possível modificar partindo da tomada de consciência de que ponto ou crença nos trava, que faz com que não possamos chegar ao maior sonho de nossas vidas. Você está pronto para iniciar a mudança?

 

Dr. Ivan Bonaldo

Crefito 8/99696-F

Idealizador do Congresso Internacional das Leis Biológicas

www.leisbiologicas.com