Thumbnail

Entre ser feliz e ter razão, eu prefiro ser feliz, e você?

Quantos de nós passamos por situações onde levamos uma discussão a mais do que deveríamos apenas para provar que tínhamos razão sobre um assunto, ou quantos de nós que ao perder uma discussão ficamos remoendo o que a outra pessoa falou, por horas, dias ou até meses. 

Ninguém é detentor de todo o saber e muito menos precisa embutir na cabeça de outra pessoa a sua verdade. Cada pessoa tem suas crenças, seu idealismo e sua verdade, e, muitas vezes, por mais que tentamos informar o que pensamos ao outro, dar consciência de que aquela forma de pensar pode lhe fazer mal, ou que realmente não é coerente, aquela verdade está tão fixada na pessoa, que ela irá negar toda e qualquer informação contrária, seja pois a pessoa está bloqueada a novas informações, seja por um grande amor àquela informação que ela detêm, ou ainda simplesmente pela pessoa ser do contra e não aceitar nada que venha de outro ser. 

Não há problema em darmos nossa opinião, falarmos nossas verdades aos outros, o problema é ficar batendo sempre na mesma tecla sobre alguma informação que no fundo eu sei que a outra pessoa não irá aceitar, e muitas vezes não é que ela não aceite o que você ou eu fale, mas sim a forma com que fale. Já ouvi muito de meus pacientes falarem que seu filho(a) não aceita a opinião deles, mas de outras pessoas ele(a) aceita. Em geral, os pais não aconselham seus filhos, mas sim, mandam ou obrigam, isto faz com que eles ajam de uma forma a confrontar, principalmente na adolescência, onde eles querem provar suas verdades. E por que não ao invés de impor, não conversamos, mais suavemente, pois hoje em dia, impor o medo, nem sempre funciona como antigamente, mas demonstrar o exemplo e o respeito, estes sim, nunca saíram de moda. 

E o que falar de um funcionário que não aceita a forma como o chefe comanda a empresa ou como age, e tenta confrontar alterando a voz a este superior. Até que ponto arriscar a profissão vale a pena, ou até que ponto vale a pena manter um trabalho onde me desgasto com pensamentos contrários a mim? Confrontar e impor suas razões nem sempre é uma boa saída num relacionamento destes, entretanto marcar uma reunião para expor seu modo de pensar, pode ser uma boa pedida. Mas o que geralmente ocorre é uma discussão acalorada no meio de todos os outros funcionários, que definitivamente não é uma boa opção. 

Mas qual é o motivo de tentarmos sempre vencer, dizer que nosso time é o melhor, que meu partido rouba menos, que minha religião é a certa, que eu tenho sempre razão?

O princípio disto tudo vêm da desvalorização intelectual, todas estas pessoas em um momento de sua vida foram extremamente criticadas e até mesmo humilhadas quanto ao seu intelecto, quanto a sua capacidade de resolver problemas e achar soluções, foram chamados de burros, incapazes e que os outros eram melhor do que eles, reprovaram no colégio ou faliram empresas, e nesta base de desvalorização profunda, tiveram que colocar uma proteção sobre si, para que não passassem novamente pela mesma frustração, desta forma, tentam incessantemente provar que são capazes, que tem razão e que irão achar solução para tudo. O problema é que nem sempre isto é vantajoso. Há momentos em que temos que estar dedicados e resolver nossos problemas, mas em outros, podemos muito bem deixar entrar por um ouvido e sair pelo outro, algumas informações que não nos são relevantes e podermos sair de picuinhas que não nos levam a nada. E como diz o ditado, “entre ter razão e ser feliz, eu prefiro ser feliz”. 

Como falei anteriormente, as pessoas que querem provar que tem razão, é por elas terem sido desvalorizadas, por isto, perder uma discussão vai levar a ela se sentir desvalorizada novamente, neste momento, podemos racionalizar e entender que você não precisa ganhar a discussão desta pessoa, você pode sair da conversa ainda com suas convicções, sem criar desavenças que possam atrapalhar os relacionamentos.

Muitas das pessoas que apresentam este perfil, apresentam dores de cabeça frontal e ou no pescoço na sua região superior, são locais relacionados a desvalorização intelectual. 

E ai como você está reagindo aos confrontos de sua vida, você aumenta o tom de voz para mostrar sua razão ou deixa para lá e segue sua vida? Pense nisto!! Até que ponto vale a pena criar uma inimizade ou ficar remoendo uma situação simplesmente por não se permitir perder uma discussão? 

Se você quer realmente mudar a forma de ver e lidar com as situações de sua vida, você não pode deixar de ler este meu outro artigo: Agradeça e celebre a vida http://bit.ly/2w5Bqpw

 

Dr. Ivan Bonaldo

www.leisbiologicas.com

Idealizador do Congresso Internacional das Leis Biológicas

Crefito 8/99696-F