Thumbnail

Qual o motivo te levou a trabalhar na área de saúde?

 

Você já parou para pensar que há um motivo ou sentido em você estar fazendo ou trabalhando no local onde está hoje? Que seu dom ou virtude está diretamente relacionado ao trabalho que você exerce? 

Pois bem, muitas pessoas acham que começaram seu trabalho por acaso, que de repente, surgiu uma oportunidade e achou que ali deveria ficar, que se sentem bem fazendo o que fazem por se adaptarem simplesmente àquele local de trabalho e conseguirem fluir nas atividades que devem fazer. Mas será que isto é bem assim? 

Claro que a toda regra há suas exceções, mas em regra geral, nossos caminhos não são traçados ao acaso, estamos sim seguindo o caminho que mais sabemos fazer, muitas vezes somos trazidos a uma profissão inconscientemente, por um chamado “projeto sentido”, nome dado por Marc Fréchet, o qual estudou a fundo os ciclos memorizados, e desvendou que nos 9 meses antes de nossa fecundação, os pais projetam consciente e inconscientemente, o sentido da vida daquele ser que está por vir, tudo o que os pais estão vivendo, servirá de caminho e projeção, nas tomadas de decisões e projetos de vida daquele ser em formação, assim como até nossos primeiros anos de vida, esta projeção ainda permanece sendo formada. 

Mas se esta área onde você trabalha não é um local que te motive nestas relações, talvez você deva dar uma olhada neste artigo também. http://bit.ly/2w8HlI9

Voltando ao artigo. Mas o que isto significa? 

Podemos pensar que se uma futura mãe ou futuro pai cuida de sua mãe ou avó enferma, neste período de 9 meses antes de engravidar, onde se sente impotente, incapaz de fazer com que a pessoa permaneça viva, ou passe por situações de extremas preocupações com esta pessoa acamada, tendo que cuidá-la, dar banho, remédios e etc., isto faz com que aquela criança que será fecundada e trazida a vida, receba um “projeto sentido” de ser uma cuidadora, uma protetora, uma pessoa que estará a serviço de manter os outros bem de saúde. Esta criança já desde pequena terá atração para brincar de cuidar de bonecas, de querer saber se os pais ou irmãos estão bem, se um amiguinho cai no colégio, ela irá lá para consolá-lo, isto tudo irá permitindo que esta criança crie experiências o suficiente, para que seja atraída para as profissões da área da saúde, pois a vida toda e mesmo antes de ser fecundada, ela já foi se especializando, não com cursos, faculdade, pós e etc., mas sim, ela é especialista em experiências de vida, o que permite a ela ter muito mais afinidade com as áreas da saúde, do que outra pessoa. Cada área da saúde terá mais especificações, mas vou ser mais geral neste texto. 

Pode ocorrer também que durante os meses que antecedem a fecundação o futuro pai ou mãe, vivenciem uma situação de doença de um dos filhos que antecedem a futura gravidez, ou mesmo uma criança que nasça antes com alguma deficiência, a mãe ou o pai passam noites em claro cuidando da saúde do seu filho(a), vão e voltam do médico, exames e mais exames, tudo isto culmina em uma criança que será posteriormente gerada em meio às preocupações dos pais com a saúde do filho(a) anterior, causando já uma tendência ao futuro filho de procurar manter todos em saúde, ele(a) acaba observando mais o que os maiores fazem para cuidar da saúde deles e dos outros, capta mais fácil estas experiências e tem uma tendência a buscar mais as informações em livros ou por notícias desta área. Por isto que muitos se sentem em casa, quando acabam por fazer faculdade na área da saúde e posteriormente vão trabalhar com isto. 

Assim como estas experiências vividas por nossos pais, as situações vividas na pequena infância, como no caso de uma criança recém-nascida, que vivencia sua mãe com dores ou problemas emocionais nos primeiros 3 anos de vida, muitas vezes terá uma tendência a não querer permitir que sua mãe sofra, então tentará achar mecanismos para alegrar a mãe, auxiliar nas dores e etc. 

Estas experiências vividas, com tentativas e erros de melhorar e auxiliar a saúde dos outros, desde o período anterior a gravidez, durante a gravidez e até os primeiros anos de vida, é muito válida para nosso direcionamento profissional, nos dão apoio em nossas decisões e escolhas nos atendimentos e no que falar ou não ao nosso cliente ou paciente. Mas isto não basta, para que consigamos a resposta completa de melhora de quem vem nos procurar, isto auxiliar para acolher, aconselhar e amenizar o sofrimento do outro, mas estar sempre se especializando em busca de métodos e técnicas que nos permitam alcançar a real causa dos sintomas, faz com que possamos potencializar a melhora e assim chegar a resultados estupendos. 

Se você é uma destas pessoas que quer chegar a estes resultados, você não pode perder a oportunidade de saber o que os especialistas da área das Leis Biológicas estão fazendo para trazer resultados mais rápidos e eficazes em seus pacientes. Aproveite e inscreva-se: www.leisbiologicas.com

 

Dr. Ivan Bonaldo

www.leisbiologicas.com

Idealizador do Congresso Internacional das Leis Biológicas

Crefito 8/99696-F