Thumbnail

Você procura a sua metade da laranja ou uma laranja inteira?

 Quantas vezes já ouvi a expressão “estou procurando minha metade da laranja”, “minha cara metade”, “a tampa da minha panela”. Cada vez mais as pessoas procuram alguém que as preencha, que as complete, para poder ter um final feliz. Mas será que é isto que devemos esperar de um(a) parceiro(a)? 

Já ouvi de algumas pessoas a fala “só serei feliz quando encontrar alguém que me ame”, a eterna busca da alma gêmea, e então sabe o que acontece? Esta pessoa encontra alguém que lhe ama, mas depois de um tempo a infelicidade volta, ela não está satisfeita onde está e é infeliz novamente. Isto tudo por quê? 

Pela eterna busca por alguém que faça da nossa vida completa, para que preencha um vazio existencial, para que nos faça felizes, ou que nós possamos fazer a pessoa feliz. Mas esquecemos de um pequeno grande detalhe, se não estamos bem conosco mesmo, ninguém será capaz de fazer-nos ficar bem. A energia de mudança e completude têm que partir de dentro de nós e não de fora, vindo de uma outra pessoa. Quando nos sentimos completos, realizados e de bem conosco, aí sim é o momento de encontrar uma outra pessoa que esteja da mesma forma, para então ser uma família plena. Mas se já não estamos completos e buscamos uma outra pessoa que também não está completa (seja só meia laranja), digamos que o suco pode as vezes ser meio azedo, e então ocorrerão brigas, desgastes no relacionamento até culminar numa possível separação, ou em uma vida de aceitação em viver no mediano. 

Por isto, se você quer viver uma vida mediana, viva em função dos outros, dedique-se 24 horas por dia para agradar e proteger todos a sua volta, dedique-se plenamente ao trabalho, viva as rotinas e principalmente não dedique nenhum momento a você mesmo(a). Pois a felicidade completa está quando nos importamos conosco mesmos, quando fazemos algo para nossa pura e exclusiva felicidade. Egoísmo? Pergunto a você, egoísmo é querer ser feliz, querer aproveitar sua vida, gostar de si mesmo(a), se amar? Lembrando que em nenhum momento falei aqui que você não possa ajudar aos outros, auxiliar, fazer o seu melhor como mãe/pai, como filho(a), como esposo(a), como profissional, como falei neste artigo que segue http://bit.ly/Inteiro-metade temos que ter o equilíbrio, colocar tudo na balança e também fazer por nós, pois se esperarmos para fazer coisas para si mesmo amanhã, o amanhã nunca vai chegar. 

Crie hábitos saudáveis, passe um tempo consigo mesmo, faça uma atividade física, mas lembre-se de ter este tempo para si, permita-se dizer “não” em alguns momentos, se você tem sua caminhada, seu pilates, natação as 18:00 horas, permita-se dizer que não pode auxiliar alguma pessoa naquele horário, mas quando voltar, você irá ajudá-la, pois a partir do momento que você se compromete consigo mesmo(a), enfim poderá se sentir pleno(a). 

Desta forma, não precisamos buscar uma pessoa que nos complete, pois em geral isto não funciona muito bem, quando realmente nós estamos completos, podemos nos sentir em harmonia e felizes, por mais que problemas aconteçam ao nosso redor, o que sempre irá acontecer, mas conseguiremos lidar melhor com as picuinhas da vida. Mas se duas pessoas estão pela metade num relacionamento, os conflitos têm a tendência de se repetirem com grande frequência, pois ambos permanecem em estado de alerta, ao invés de viverem bem. Por isto seja uma laranja completa, para então achar outra laranja completa, pois se não você corre o risco de achar só laranjas podres. 

 

Dr. Ivan Bonaldo

Crefito 8/99696-F

Idealizador do Congresso Internacional das Leis Biológicas

http://www.leisbiologicas.com