Thumbnail

E quando a situação de estresse não passa?

 

Quando permanecemos na fase ativa do estresse e não conseguimos sair dela, podemos apresentar alguns sintomas como a hipertensão, diabetes, zumbidos, certas paralisias, perda auditiva, perda visual. 

Na fase ativa do estresse ocorre um hiperestimulação do sistema nervoso simpático, desta forma permanecemos em estado de alerta, mas se este estado permanece por muito tempo, o nosso organismo joga o sintoma para um estado mais leve, pois se permanecer por muito tempo na fase intensa de alerta surge um risco de grande perda de energia, muito tempo com falta de sono, ou podendo gerar uma proliferação celular tão intensa em um órgão que possa levar a uma obstrução, como no caso do cólon do intestino, desta forma há uma redução da intensidade do alerta e do sintoma, depois de um tempo, para a manutenção da vida.  

Então, quando a pessoa entra na fase ativa de estresse, ocorre um pico de hipersimpaticotonia, e depois de um tempo há uma pequena redução deste pico, diminuindo a hipersimpaticotonia, mas cada vez que a pessoa recidiva a situação de estresse ou passa por algum trilho do conflito que a faz retornar ao estresse, este pico retorna. Os trilhos do conflito são tudo que possa relembrar a pessoa o perigo de reviver o estresse, eles são representados pelos 5 sentidos, visão, audição, olfato, paladar e tato, assim como o tempo e o espaço. Como por exemplo, aquela pessoa que passa por picos de pressão alta sempre as 3 horas da manhã, horário que relembra um temporal que aconteceu na madrugada e destelhou e inundou sua casa. Ou pessoas que não querem escutar mais um determinado barulho ou voz que acabam por perder audição a determinada frequência auditiva. Ou mesmo pessoas que ficam sempre no estado de resistência ou repulsão a situações ou pessoas, onde elas estão sempre em fase de estresse, que pioram quando veem a pessoa ou nos momentos de desentendimentos com a mesma, gerando o diabetes. 

O estresse permanente não é bom para nenhum tecido do corpo e nem para a saúde em geral, quando permanecemos no processo muito tempo, tendemos a nos desgastar e a desencadear disfunções que podem ser perigosas seja por permanecer na fase de estresse ou por poderem promover sintomas mais graves na fase de resolução, por isto, detectar antecipadamente a causa do estresse, facilita para que possamos viver melhor em equilíbrio e harmonia. 

O que te faz ficar em alerta, o que te deixa em estado de atenção constante? Que tal começar a mudar este padrão? 

 

Dr. Ivan Bonaldo

Crefito 8/99696-F

Idealizador do Congresso Internacional das Leis Biológicas

http://www.leisbiologicas.com